Por trás de toda grande ideia, existe um processo criativo. Ainda que você não perceba, você provavelmente segue alguns passos sempre que coloca sua criatividade em prática.

Criar é algo que você com certeza já fez, seja um grande projeto no trabalho ou uma receita nova na cozinha. A criatividade está presente na vida de qualquer pessoa. E, assim como qualquer outra habilidade, ela pode ser desenvolvida.

Ao contrário do que pode-se pensar, ninguém nasce criativo, a criatividade não é um dom inato. Com experiência, prática constante e construção de repertório, é possível se tornar uma pessoa mais criativa.

Além disso, é comum associar a criatividade a profissões como designer, publicitário, artista visual, entre outros. Mas essa habilidade está presente em milhares de outras áreas, é só saber como utilizá-la.

E o que antes era considerada uma competência artística, agora já está entre as habilidades mais procuradas pelo mercado. Segundo a pesquisa Future Of Jobs, do Fórum Econômico Mundial, a criatividade será uma das 10 habilidades profissionais mais valorizadas por grandes empresas até 2022.

Dessa forma, muitos profissionais já estão em busca de técnicas para se tornarem mais criativos em suas profissões. Colocar a criatividade em prática no trabalho pode ser o diferencial que faltava para você se destacar no que faz.

E se por trás de toda grande ideia existe um processo criativo, como estruturar um processo eficiente? É sobre isso que vamos conversar nesse artigo!

O que é um processo criativo?

O processo criativo é, basicamente, um conjunto de passos para organizar pensamentos e ideias a fim de colocar a criatividade em prática.

Uma vez que você define e conhece o seu próprio processo criativo ou de sua equipe, torna-se mais simples direcionar o esforço para as etapas deste processo, otimizando a geração de ideias e soluções.

Ter um processo criativo bem estruturado diminui as chances de você enfrentar um bloqueio criativo durante a realização de um projeto. 

Etapas do processo criativo

Apesar de poder variar, o processo de criação mais popular atualmente é resultado dos estudos do psicólogo Graham Wallas. Em 1926, ele desenvolveu a Arte do Pensamento, uma teoria que permite implementar 4 etapas do processo criativo para gerar ideias e soluções com bases sólidas. O modelo ficou conhecido como 4-stage model:

1) Preparação

Nesta fase, o objetivo principal é entender a questão ou projeto e absorver as informações a respeito dele. De maneira resumida, é a etapa do estudo e da pesquisa.

Defina onde você quer chegar, quais os possíveis caminhos, os obstáculos enfrentados, o público-alvo e demais fatores envolvidos no problema. No final do processo de criação, essas informações poderão servir de base para a sua ideia.

2) Incubação

A etapa da incubação serve para fazer justamente o contrário do que foi feito na preparação. Enquanto na primeira fase você buscou reunir o máximo de informações possíveis sobre a questão a ser trabalhada, na incubação você aproveita o ócio e permite que seu cérebro realize sozinho as associações entre as informações coletadas. É sobre deixar a mente humana trabalhar

Sabe quando você precisa esquentar água no fogão e parece que ela nunca começa a borbulhar enquanto você está olhando para a chaleira, mas quando você deixa ela de lado e vai fazer outras coisas, logo começa a ouvir o barulho da água fervendo? É a mesma ideia. 

Você não estar assistindo à água esquentar não significa que ela não esteja esquentando e, quanto mais tempo você passa olhando, mais tempo parece demorar para ferver. Então deixe o problema de lado um pouco depois de reunir as informações relevantes sobre ele. Você estará fazendo associações mesmo sem perceber.

3) Iluminação

Nesta etapa, depois de realizar um estudo sobre o problema e deixar o inconsciente trabalhar, as ideias começam a surgir. A fase de iluminação, assim como nos desenhos animados, é o momento em que uma lâmpada vai acender para você. 

Depois de deixar os pensamentos se tornarem mais concretos sem intervir, as ideias começam a tomar forma, mais claras e embasadas.

4) Implementação

Agora é hora de colocar a mão na massa! Não adianta ter uma boa ideia se ela não for colocada em prática. Por isso, a fase da implementação é o momento de aplicar o que você pensou na fase da iluminação e ver se a ideia gera o resultado esperado.

No início pode ser desafiador colocar o processo criativo em prática, mas, com o tempo e a repetição, você passa a dominar essa estratégia e gerar ideias com mais facilidade.

E se você quer desenvolver sua capacidade criativa e conhecer ferramentas e metodologias para ter mais e melhores ideias, conheça o curso online de Criatividade e Resolução de Problemas da Conquer.

Você vai aprender a desenvolver sua criatividade e usá-la para solucionar problemas reais com mais facilidade.