Na era da transformação digital, desenvolver produtos e serviços visando entregas rápidas e com qualidade tornou-se ainda mais importante para as empresas. Os modelos tradicionais, lentos e burocráticos, já não são capazes de acompanhar essa velocidade. Foi para agilizar esse processo que surgiram as metodologias ágeis.

O bom gerenciamento de um projeto exige alinhamento entre os membros da equipe, comunicação clara e assertiva e objetivos bem definidos. As metodologias ágeis utilizam algumas práticas para garantir que esses processos sejam otimizados e, por isso, têm se tornado tão populares entre profissionais e empresas que buscam tornar o seu trabalho mais eficiente.

Apesar de algumas metodologias serem anteriores a isso, em fevereiro de 2001, 17 profissionais se reuniram em Utah, nos EUA, para debater novas abordagens para o desenvolvimento de produtos e serviços de software. Como resultado dessa reunião, foi criado o Manifesto Ágil.

O intuito era resolver problemas comuns de métodos convencionais, desde as fases demoradas da produção até os prazos de entregas prolongados. Por serem desafios enfrentados por diferentes setores e empresas, houve uma rápida expansão das metodologias para projetos que vão além da área de tecnologia.

O que é o Manifesto Ágil?

O Manifesto Ágil é uma declaração composta por 12 princípios e 4 valores essenciais para o desenvolvimento de softwares. Servindo como um guia para as equipes, o Manifesto orienta as ações, ferramentas e estratégias utilizadas no gerenciamento de projetos, buscando maximizar os resultados.

Apesar de alguns itens serem bastante específicos para o desenvolvimento de softwares, é possível adaptá-los para as demais áreas de atuação.

Os 12 princípios do Manifesto Ágil são:

  1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado.
  2. Mudanças nos requisitos são bem-vindas, mesmo em uma etapa mais tardia do desenvolvimento. Processos ágeis tiram vantagem das mudanças visando vantagem competitiva para o cliente.
  3. Trabalhar com ciclos de produção curtos, entregando softwares funcionais simples para testar hipóteses e colher aprendizados.
  4. Desenvolvedores e demais profissionais devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto.
  5. Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessário e confie neles para fazer o trabalho.
  6. O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é através de conversa face a face.
  7. Software funcionando é a medida primária de progresso.
  8. Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante por tempo indeterminado.
  9. Atenção contínua à excelência técnica e bom design aumentam a agilidade.
  10. Simplicidade — a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado — é essencial.
  11. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes auto-organizáveis.
  12. Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz e então ajusta seu comportamento de acordo com o que foi definido.

Os 4 valores do Manifesto Ágil são:

  • Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas
  • Software em funcionamento acima de documentação abrangente
  • Colaboração com o cliente acima de negociação de contratos
  • Responder a mudanças acima de seguir fielmente um plano

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, os itens à esquerda são os mais priorizados.

O que são metodologias ágeis?

A partir do Manifesto Ágil, surgiram as diferentes metodologias utilizadas para implementar seus princípios e valores.

Propondo etapas de desenvolvimento mais curtas, objetivos claros e bem definidos, foco na melhoria contínua dos processos, alinhamento da equipe e feedback constante, esses métodos buscam transformar os processos de trabalho engessados e garantir maior fluidez no desenvolvimento dos projetos.

A mudança tornou mais simples a identificação de erros durante a execução do projeto e garantiu maior flexibilidade e adaptabilidade para os profissionais envolvidos.

Quais os principais tipos de metodologias ágeis?

Após entender melhor o que são e a origem das metodologias ágeis, é fundamental conhecer os principais tipos para entender qual é o melhor para o seu projeto e a sua empresa.

Por isso, listamos abaixo as 4 principais metodologias ágeis utilizadas por grandes empresas:

1) Scrum

O Scrum é, possivelmente, o método ágil mais difundido do mercado atualmente. Esse framework, criado por Ken Schwaber e Jeff Sutherland, é utilizado para gestão de projetos e organização de equipes.

Para garantir a efetividade do método, os membros da equipe possuem funções e responsabilidades bem definidas no processo:

  • Product owner: gerencia os projetos, demandas, prazos e metas, além de alinhar o trabalho do time com as necessidades do cliente e os objetivos da empresa.
  • Scrum master: coordena a equipe delegando papeis e acompanhando a execução das tarefas. Responsável por garantir que as regras, processos e cronograma sejam seguidos.
  • Dev team: profissionais da equipe envolvidos no projeto, responsáveis por executar o planejamento.

Na prática, o Scrum é dividido em Sprints, intervalos definidos para o desenvolvimento das etapas dos projetos. Cada Sprint possui um Increment, objetivo final a ser alcançado, e, ao fim de cada etapa, acontece a Sprint review, uma revisão do produto para validação.

Depois disso, a equipe realiza o Sprint planning, reunião que antecede o início de um novo Sprint, para definir o próximo objetivo e o plano de ação a ser seguido. As etapas são repetidas até o desenvolvimento do produto final.

Quer entender detalhadamente as etapas do Scrum? Dá uma olhada no artigo O que é Scrum – e como usar na organização do time?.

2) Kanban

O método Kanban é ótimo para aqueles que gostam de checklists. Simples e fácil de colocar em prática, ele foca nos fluxos de um sistema bastante visual.

Um conjunto de cartões contendo as demandas de um projeto percorrem 3 colunas dispostas em um quadro, físico ou digital.

As 3 etapas que dão nome às colunas são:

  • To do: contém os cartões com as atividades que precisam ser realizadas.
  • Doing: contém os cartões com as atividades que estão sendo realizadas no momento.
  • Done: contém os cartões com as atividades que foram concluídas.

Apesar de ser bastante simples, é preciso que a equipe esteja engajada para fazer o método Kanban funcionar. Essa metodologia ágil exige atualização e acompanhamento constante das demandas que estão sendo realizadas e do avanço delas entre as colunas.

3) Lean

Conhecido no mundo das startups, o método Lean é indicado para validação de ideias e hipóteses no desenvolvimento de produtos.

Um de seus principais focos é identificar e eliminar de maneira eficiente os desperdícios dentro de uma organização ou durante a execução de um projeto. Dessa forma, existe uma redução de custos, diminuição da complexidade das tarefas, resultando em maiores níveis de produtividade, melhores entregas e compartilhamento de informações mais efetivo.

Os três passos do método Lean são:

  • Construir
  • Medir
  • Aprender

Eric Ries, empreendedor e autor do livro The Lean Startup, reforça a importância de se trabalhar com MVPs na execução de um projeto. O Minimum Viable Product (Produto Mínimo Viável) é considerado uma versão funcional mais simples do produto. Ele é utilizado para validar ideias e reunir aprendizados sobre a produção antes de investir mais tempo e recursos na versão completa que será lançada ao mercado.

4) Smart

Utilizada para traçar metas objetivas e realistas para a empresa (ou para si mesmo), a metodologia Smart se baseia em 5 princípios indicados nas letras de seu nome:

  • S (de Specific): significa que sua meta deve ser clara e específica, sem abrir margem para interpretações equivocadas.
  • M (de Measurable): sua meta deve ser mensurável, com objetivos numéricos e exatos para medir a eficiência do processo.
  • A (de Attainable): é importante criar desafios para a sua equipe, mas é preciso ter uma visão realista para estabelecer metas alcançáveis.
  • R (de Relevant): as metas estabelecidas devem gerar um impacto e ter relevância para os resultados do projeto ou da empresa.
  • T (de Time-related): é necessário definir um prazo máximo para alcançar a meta, evitando procrastinações e aumentando o foco.

Colocar projetos em prática faz parte do dia a dia de qualquer empresa, sejam grandes ou pequenas. As metodologias ágeis existem para tornar os processos mais simples, rápidos e eficientes, por isso é importante saber utilizá-las da melhor maneira possível para o seu negócio.

Agora que você já conhece os principais tipos de métodos ágeis, é hora de colocar a mão na massa! E, se você quer aprender como utilizar cada um deles na sua vida profissional ou da sua empresa, conheça o curso online de Metodologias Ágeis da Conquer.

Você vai entender como construir produtos, gerenciar projetos e formar times multidisciplinares com mais organização, performance e resultados.