O Google, gigante da tecnologia e uma das empresas mais valiosas do mundo, fez um anúncio que, na prática, pode ser visto como um marco para o futuro da educação.

No dia 13 de junho, a empresa lançou o Google Career Certificates – em português, Certificados de Carreira do Google –, um conjunto de cursos profissionalizantes na área da tecnologia. O objetivo é simples: ajudar as pessoas a desenvolverem habilidades fundamentais para o mercado de trabalho por um preço acessível e em um curto período de tempo.

São três cursos ligados à nova economia: Análise de Dados, Gestão de Projetos e UX Design, todos oferecidos em parceria com a plataforma de ensino remoto Coursera. Em 6 meses, o aluno consegue o certificado e está pronto para disputar vagas ligadas a essas habilidades, que estão em alta demanda no mercado. 

Com a iniciativa, o Google espera ajudar na recuperação econômica dos Estados Unidos através de uma educação mais acessível e, principalmente, mais conectada com a realidade do mercado de trabalho

“Diplomas universitários estão fora do alcance de grande parte dos americanos, e você não deveria precisar de um diploma universitário para ter uma segurança econômica. Nós precisamos de novas e acessíveis soluções de treinamentos profissionais, de programas melhores de educação online para ajudar a América a se recuperar e reconstruir”, disse o Vice-Presidente Sênior de Negócios Internacionais do Google, Kent Walker, ao anunciar o programa.

Muitas iniciativas com o propósito de transformar a educação já existiam antes desse anúncio do Google. Mas, hoje, queremos te convidar para uma reflexão sobre como esse lançamento pode ser decisivo para o futuro da educação.

O futuro da educação já começou

Que o sistema tradicional de ensino está preso no passado, isso não é novidade. Profissionais e empresas não têm mais dúvidas de que as faculdades e pós-graduações convencionais não conseguem oferecer o que é necessário para o bom desempenho profissional no mercado de trabalho, principalmente em áreas relacionadas a nova economia. 

O lançamento do Google Career Certificates é um passo firme de um grande player do mercado global em direção a um futuro sem volta, no qual os diplomas universitários, antes tidos como requisitos essenciais para a construção de uma carreira promissora, estão com os dias contados. O motivo para tamanha mudança é simples: as pessoas não podem depender de modelos e sistemas engessados e altamente custosos, que não conseguem acompanhar a velocidade de um mundo tão dinâmico e não apresentam garantia de resultados. 

Foi-se o tempo em que um diploma universitário emoldurado na parede era sinônimo de sucesso profissional. E o estudo Future of Jobs, do Fórum Econômico Mundial, ilustra muito bem a nova realidade que está se avizinhando. De acordo com ele, até 2022, 42% das habilidades e funções profissionais que conhecemos hoje vão passar por transformações. Sim, vale destacar: quase metade das habilidade e funções profissionais vão mudar em menos de dois anos. Podemos dizer que esse estudo é o anúncio de uma verdadeira revolução no mercado de trabalho. E, se o sistema educacional tradicional já não atende as necessidades atuais do mercado, quem dirá desse futuro próximo. 

Não por acaso, estamos vivendo a chamada “crise do diploma”. A lista de empresas que não exigem diploma nos processos seletivos cresce a cada dia – Google, IBM, Apple, Nubank, Movile e a Conquer estão entre elas. Para essas empresas, é mais importante confirmar se os profissionais têm, de fato, as habilidades necessárias para aquela vaga, independente do diploma universitário que esse profissional possui. O que conta para os recrutadores não é mais a formação, mas a experiência que o profissional possui na sua área. Não é a teoria, mas a prática, pois é isso que faz real diferença no mercado de trabalho. E é isso que as empresas buscam. 

Nesse cenário, ganham destaque novas formas de educação, que não oferecem diplomas, mas sim certificados, cada vez mais mais reconhecidos pelo mercado de trabalho. É o caso da Conquer e agora do Google que, como vimos, acaba de lançar seus próprios certificados. Diferentemente do diploma, o certificado comprova que o profissional está preparado para encarar desafios e funções práticas de um mercado altamente competitivo e dinâmico. E é justamente disso que o os profissionais precisam, de uma educação contextualizada com o cenário atual e que atenda as reais necessidades do mercado. 

Assim como o Google, nós da Conquer já não acreditamos mais no modelo tradicional de educação, principalmente para atender as demandas da nova economia. Acreditamos em uma educação mais dinâmica, prática, alinhada com a realidade de mercado e também mais acessível financeiramente do que os altos custos envolvidos em uma graduação ou pós-graduação tradicionais. Por isso, nossos cursos e especializações profissionais, todos com certificados para o aluno, são co-criados com profissionais de mercado, priorizam a aplicação prática do conteúdo e preparam os alunos para atuar em áreas relacionadas à nova economia e com alta demanda, como Marketing Digital e Análise de dados, além de preparar os alunos nas famosas Soft Skills, que são habilidades-chaves para o bom desempenho de qualquer profissional e que, infelizmente, são deixadas de lado pelo ensino tradicional. 

Ver uma gigante como o Google também caminhando nessa direção de desmistificar a necessidade do diploma universitário tradicional para a carreira e apostando em um formato mais alinhado com as reais necessidades profissionais é um sinal positivo em relação ao que acreditamos e uma mensagem clara para o mercado: o futuro da educação chegou.