Como ser um líder preparado para o futuro com transformações acontecendo constantemente no mercado e no mundo? Os fluxos de informação e inovação estão cada vez mais rápidos e, nesse cenário em que a mudança é a única certeza, a adaptação a um novo modelo de liderança é urgente. 

Ao se limitar a práticas tradicionais de liderar, você tem a falsa sensação de que está preparado, mas logo você verá que seus resultados vão permanecer estagnados e sua equipe, em baixa performance.

Isso porque o mundo não é mais o mesmo.

Novos contextos trazem novos comportamentos e necessidades. Para atender as demandas de um mercado acelerado e sujeito a transformações inesperadas, é preciso desenvolver habilidades essenciais para o líder do futuro.

Você não consegue prever tudo o que vai acontecer, mas também não pode apenas reagir ao que vier. Por isso, é fundamental desenvolver habilidades capazes de garantir que, independente das mudanças, você estará preparado para agir sob novas condições.

Pensando nisso, reunimos 4 competências do líder do futuro. Dá uma olhada!

1) Ambidestria

A transformação digital já é uma realidade. Para se manterem relevantes, os profissionais e empresas precisam inovar

Nesse contexto, a ambidestria se apresenta como uma competência essencial para os líderes, principalmente os responsáveis por gerir equipes para as melhores decisões na empresa.

Um profissional ambidestro é aquele capaz de conciliar a eficiência nas operações e processos correntes ao mesmo tempo em que assume riscos pela inovação e busca oportunidades de redefinir o modelo de negócio com processos mais dinâmicos. É sobre lidar com a empresa de hoje sem deixar de se prepará-la para o futuro.

Inovar sem possuir uma base sólida compromete a eficiência dos planos da empresa. Por outro lado, não inovar por receio ou por falta de referências pode paralisar o crescimento da organização. O líder ambidestro assume o desafio de inovar com segurança, uma habilidade fundamental para o futuro. 

2) Gestão humanizada

O mundo está cada vez mais digital e acelerado, mas se engana quem pensa que isso tem a ver apenas com máquinas e dados. Mais do que nunca, é preciso lembrar do principal foco de qualquer empresa: as pessoas.

Segundo a Gallup, empresa americana de pesquisa de opinião, 70% do nível de engajamento dos colaboradores é atribuído à qualidade do líder

Além disso, 75% dos funcionários afirmam que seu superior imediato constitui a pior parte de seu trabalho e 65% aceitaria um corte de salário se o seu chefe fosse substituído por outro melhor, de acordo com uma pesquisa feita pela Harvard Business Review.

Com tantas demandas e processos acontecendo ao mesmo tempo, muitas vezes a liderança acaba deixando de priorizar sua equipe e, individualmente, os profissionais que fazem parte do seu time. Resultado: performance baixa e equipe desmotivada.

O líder do futuro sabe se comunicar com os colaboradores e é capaz de compreender a individualidade das pessoas e entender suas necessidades, desafios e desejos.

A gestão humanizada nada mais é do que liderar sem esquecer que os profissionais são, antes de tudo, pessoas. Parece óbvio, mas o mundo dos negócios pode fazer com que, em um determinado ponto, os colaboradores sejam vistos e tratados como peças de uma estratégia.

Pensando nisso, é essencial se lembrar da importância de exercer uma liderança baseada em empatia, escuta ativa e comunicação assertiva.

3) Tomada de decisão baseada em dados

Assumir um cargo de liderança significa, principalmente, assumir a responsabilidade de fazer decisões importantes.

As transformações no mercado exigem tomadas de decisão rápidas e assertivas para não prejudicar a entrega da equipe e os resultados da empresa. Por outro lado, o líder que não toma decisões rápidas, mas sem bases sólidas, transmite insegurança para os colaboradores.

Na hora de definir o melhor caminho a seguir, a análise de dados pode oferecer a base para tomadas de decisão mais estratégicas.

Toda organização possui uma grande quantidade de dados disponíveis, no entanto, nem todas conseguem analisá-los e transformá-los em informações realmente úteis. As empresas e profissionais que souberem utilizar os dados a seu favor terão uma enorme vantagem competitiva e serão capazes de alavancar os resultados exponencialmente.

Um líder capaz de utilizar a análise de dados para tomar decisões certamente sentirá mais segurança para guiar sua equipe para as melhores escolhas nos projetos, transmitindo confiança para os colaboradores do seu time.

4) Ser embaixador da cultura organizacional

Você já ouviu falar no Golden Circle, um modelo poderoso para uma liderança inspiradora, apresentado por Simon Sinek? O autor falou sobre a importância de focar no propósito pelo qual você trabalha.

Muitas vezes, em equipes diversas, um dos principais fatores que promovem a harmonia e sincronia no trabalho é a razão que move esses profissionais. Desde o recrutamento até o dia a dia profissional, é essencial que os valores dos profissionais estejam alinhados com os valores da empresa.

O alinhamento à cultura da organização deve ser estimulado entre todos os membros da equipe. Por isso, é papel do líder garantir que esses valores estão sendo disseminados e praticados pelos colaboradores. Essa é uma forma efetiva de manter a união no time, a motivação individual e os resultados da empresa.

Se você exerce um cargo de liderança e quer saber como desenvolver essas e outras competências essenciais para os líderes, conheça a especialização em Liderança e Gestão de Pessoas da Conquer.

Você vai aprender a:

  • Liderar diferentes gerações e perfis de profissionais
  • Ser um líder exponencial e preparado para as novas dinâmicas do mercado
  • Criar uma cultura empresarial que motive e retenha profissionais
  • Aprender as melhores práticas de desenvolvimento de pessoas e feedback
  • Delegar tarefas para pensar de forma estratégica
  • Desenvolver times de alto desempenho
  • Contratar e demitir pessoas da forma correta
  • Garantir o andamento e conclusão dos projetos da área com o time

Saiba mais e faça sua inscrição!