Quando ainda estava na escola, a gaúcha Helena Maria Balbinot escreveu um desabafo para Carlos Drummond de Andrade. A professora de literatura da Helena não gostava do trabalho do autor, mas para ela, ele era o maior poeta do Brasil.

Pra surpresa da garota, a resposta veio alguns dias depois, e foi aí que começou uma amizade que durou 24 anos, de forma totalmente remota, pois ele era do Rio de Janeiro e ela do Rio Grande do Sul.

Será que sem a magia do papel e caneta nós ainda conseguimos construir esse nível de conexão no online? Como engajar pessoas à distância e criar laços verdadeiros através de uma tela? Quais estratégias de team building realmente dão resultados? 

Para te ajudar a vencer esses desafios, a Conquer preparou um kit de conteúdos gratuitos e super completo sobre team building para equipes remotas e híbridas que te equipa com conhecimento atual e ferramentas práticas. 

Ao baixar o kit, você recebe:

  • Um guia que ensina a planejar e executar ações de team building remoto no detalhe
  • Lista com 8 dinâmicas específicas para desenvolver e aproximar equipes remotas
  • Painel no Trello para te ajudar a documentar equipes e controlar as dinâmicas
Kit team building

Depois de ler o kit sobre team building remoto, você saberá:

Como a pandemia tem mudado o team building

O que define um bom team building online

A diagnosticar uma equipe antes das atividades

5 pontos que você deve levar em conta ao planejar as atividades

A engajar lideranças e C-Levels nas dinâmicas

Como montar uma checklist de organização pré-team building online

A escolher a atividade certa para a equipe certa

Como aplicar as atividades e interpretar os resultados

Confira um teaser do conteúdo que te espera:

 

Diagnosticando uma equipe antes do team building

Com tanta coisa mudando na forma de trabalhar, antes mesmo de começar a escolha do team building para uma equipe remota ou híbrida, é uma boa ideia reexaminar aquela equipe e entender os desafios atuais. 

Imagine que você é um médico recebendo um paciente. Ele entra no seu consultório queixando-se de dor na garganta, fraqueza no corpo e febre. 

Pra diagnosticar o problema, você segue todo um protocolo de perguntas e anamnese. 

Já para descobrir o que está atrapalhando as relações entre uma equipe, uma dica é analisar as 5 pontas da Estrela do Engajamento.

Estrela do engajamento de equipes

Essa é uma ferramenta prática que parte do pressuposto que o engajamento de uma equipe se sustenta nos seguintes pilares:

• Segurança psicológica: o engajamento cai quando as pessoas são criticadas por opinarem ou quando suas sugestões são ignoradas

• Mentalidade de crescimento: pessoas ficam desengajadas quando têm uma mentalidade mais rígida, ou seja, escondem erros, fogem de desafios, e não veem uma falha como oportunidade de crescimento.

• Consciência de vieses: equipes engajadas estão conscientes de “armadilhas mentais” e vieses que podem atrapalhar seu julgamento, e trabalham juntas para evitar que eles guiem as decisões do dia a dia.

• Equilíbrio de tarefas: existe uma queda no engajamento quando apenas os colaboradores de alta performance recebem as tarefas mais complexas, e os de menor performance apenas as mais simples. 

• Autonomia: equipes engajadas têm uma quantidade considerável de autonomia, e o líder encoraja a criatividade, a inovação e o pensamento próprio.

Voltando na nossa analogia da consulta médica, você chega à conclusão que o paciente tem uma inflamação bacteriana na garganta. Para restaurar a saúde dele, prescreve um antibiótico, pastilhas para dor, um antitérmico e a ingestão de líquidos.

Com o team building corporativo, é a mesma coisa. Depois de identificar quais “pontas” da estrela precisam de ajuda, você vai precisar de um trabalho contínuo, com várias frentes, para que os times criem laços profundos, conquistem a confiança uns dos outros e brilhem juntos. 

Como escolher a atividade certa para o meu team building virtual?

Com tantas opções de atividades para o team building remoto, como saber qual é a mais indicada para cada time?

E ainda, como selecionar uma dinâmica que gere engajamento? 

Primeiro, vale a pena analisar qual era a função psíquica que as dinâmicas presenciais cumpriam e buscar outras atividades que cumpram um papel parecido. 

Depois, por mais que muitos team buildings remotos não tenham custo, entenda qual é a verba disponível para realizar as atividades do trimestre. Além dessa avaliação, existem 3 pontos de análise que te ajudam a acertar em cheio na sua decisão. 

  • Ponto 1: Entender o contexto social do momento. O que está acontecendo no mundo e na vida das pessoas em geral? Enquanto produzíamos este conteúdo pra você, por exemplo, a pandemia ainda dominava as conversas.
  • Ponto 2: Conhecer o contexto profissional daquele time. Investigue como ele foi formado e quais são os desafios que eles andam tendo. A Estrela do Engajamento, que mencionamos lá em cima, pode te ajudar nessa etapa.
  • Ponto 3: Focar em um desafio específico, como diminuir a competitividade entre os membros da equipe. O que você quer melhorar neste time?

Vamos de exemplo prático?

Imagine uma equipe de Marketing de 10 pessoas, formada ao longo do primeiro semestre de 2020. Um grupo que foi pego pela confusão do início da pandemia, e não teve muito tempo para se conhecer antes da empresa adotar o modelo remoto.

Durante aquele ano, alguns membros foram substituídos por falta de performance, e a fofoca contaminava o relacionamento entre eles e outros setores. Hoje, a equipe continua trabalhando de casa.

Candidatos perfeitos pra um team building, concorda?

Só de conhecer esse pequeno histórico, você já tem as três pontas da pirâmide (contexto social, contexto profissional e objetivo) definidas, afunilando as suas escolhas. Um jogo com equipes adversárias e pontuações, por exemplo, não cairia bem em um time competitivo entre si. 

Você também pode usar essas informações para escolher uma dinâmica que gere aderência e alto engajamento por parte das pessoas. Se você sabe que a maioria é fã de uma determinada série ou estilo de música, por exemplo, pode incluir no tema do seu team building.

Lembrando que uma única atividade não é suficiente pra virar a chave de um time como o do nosso exemplo. Esse é um tipo de trabalho que depende muito da consistência para gerar bons resultados. Ou seja, é preciso um reforço constante dos aprendizados. 

Por isso, uma alternativa é preparar uma jornada de team building específica para cada time, definindo um cronograma, atividades e avaliações.

É também sempre uma boa ideia ter um facilitador experiente que ajude você a criar momentos únicos e de alto impacto, reforçando laços e construindo um time forte e engajado. Conheça as soluções de Team Building, Workshops e Palestras da Conquer In Company →