A educação financeira sempre foi importante. No entanto, estamos vivendo um momento em que saber administrar seu dinheiro e organizar seu orçamento tornou-se ainda mais necessário. 

Segundo uma pesquisa realizada pela Conquer em parceria com o Datacenso51% dos brasileiros sentiram os impactos do Covid-19 no bolso. Destes, 59% tiveram redução de renda superior a 25%.

O mercado está mudando, o futuro da economia ainda é incerto, mas muitos profissionais e empresas já foram impactados. É preciso se preparar.

Quando se trata do mundo financeiro, muitas vezes o dinheiro é tratado como um tabu ou como um monstro de sete cabeças. E essa sensação surge para pessoas de diversas condições financeiras. 

Quem nunca se sentiu paralisado quando viu que o orçamento do mês poderia fechar no vermelho? Ou se sentiu receoso em falar sobre salário com um amigo? Também existem pessoas que não buscam entender sobre investimentos porque só de ouvirem sobre a bolsa de valores no jornal já acham complicado demais, concorda? 

Isso é muito comum! Mas também é um dos primeiros desafios que te impedem de ter controle sobre suas finanças.

Mas vamos por partes. Neste artigo, vamos te contar o que é educação financeira e por que ela é importante. 

O que é educação financeira?

Como o próprio nome já diz, educação financeira é o processo de aprendizado sobre finanças. Através dela, é possível desenvolver a compreensão a respeito de conceitos e produtos financeiros, possibilitando que os indivíduos tomem consciência das oportunidades e riscos de suas ações.

De forma simples, é sobre compreender o dinheiro e as informações relacionadas a ele.

Para entender melhor como anda o seu nível de educação financeira, pare um pouco e pense sobre a seguinte pergunta: no fim do mês, o seu dinheiro falta, sobra ou cobre exatamente o valor das suas contas?

E ainda, se um pacote de viagens para um lugar que você sempre quis visitar entra em promoção, mas você sabe que não tem dinheiro naquele momento, o que você faria?

  1. Parcelaria em várias vezes no cartão de crédito.
  2. Deixaria pra lá porque tem outras prioridades para o seu dinheiro.
  3. Não compraria porque sabe que não é o momento, mas incluiria no seu planejamento financeiro.

Independente da opção que você escolheu, não existe apenas uma resposta certa. Na verdade, a educação financeira permite que você tome qualquer uma das três decisões, desde que você escolha conscientemente e esteja preparado para lidar com as consequências.

Educação financeira x Inteligência financeira

Educação financeira e inteligência financeira são dois termos que, apesar de terem significados diferentes, são conceitos complementares.

Assim como todo conhecimento possui uma base teórica e uma execução prática, quando se trata do dinheiro, a educação financeira fornece o conhecimento para que você aplique utilizando a inteligência financeira.

É possível ter acesso à educação financeira por diversos meios, existem milhares de artigos, livros, vídeos que ensinam sobre finanças. A questão é que esse conhecimento só traz resultado para a sua vida quando colocado em prática. É para isso que existe a inteligência financeira.

Talvez você conheça conceitos como renda fixa, renda variável, juros compostos, taxa Selic, dividendos… Mas por que você nunca investiu seu dinheiro? Você sabe como funcionam os investimentos?

Esse foi apenas um exemplo, mas existem diversas situações no mundo financeiro em que talvez você saiba da teoria, mas ainda não entende como esses conceitos se unem na prática. É por isso que educação financeira e inteligência financeira devem caminhar juntas.

Qual a importância da educação financeira?

Essa pergunta pode parecer óbvia para algumas pessoas, mas nem sempre é o que parece! A importância da educação financeira é comumente associada a evitar endividamento: “se eu entender sobre finanças, não terei dívidas”. E não está errado, mas a educação financeira é muito mais do que isso.

É sobre ter controle do seu dinheiro e não ser controlado por ele. Ser educado financeiramente permite que você seja capaz de administrar todos os seus gastos obrigatórios e ainda assim consiga incluir metas a médio e longo prazo no seu planejamento financeiro.

Entender os conceitos do mundo financeiro serve de base para que as suas escolhas a respeito do seu dinheiro proporcionem proteção e segurança para você e o seu futuro.

3 dicas para desenvolver sua educação financeira

Por ser repleto de conceitos, técnicas e opções, o mundo financeiro parece extremamente complexo. Mas se você souber por onde começar, logo será capaz de controlar como ele afeta a sua vida.

Reunimos 3 dicas para você que deseja começar a desenvolver sua educação financeira, seja para adquirir independência financeira, saber como começar a investir ou organizar um planejamento financeiro pessoal. Ou todas as opções.

1) Leia, ouça, assista

Conhecimento é tudo. E não adianta pular etapas. Então comece pelo básico: consuma conteúdos que falem sobre finanças, familiarize-se com os termos, entenda o que significam e como estão ligados entre si.

Existe muito material rico disponível para te ajudar a construir uma base antes de colocar a mão na massa. Leia livros sobre educação financeira, ouça podcasts sobre o tema, assista a vídeos no youtube. Tudo começa a mudar quando você passa a ver o dinheiro como um aliado e não um inimigo.

2) Organize ganhos, gastos e objetivos

Para colocar seu conhecimento sobre finanças em prática na sua vida, será preciso entender qual é a sua realidade atual e onde você quer chegar.

Lembre-se sempre: o que não se mede, não se gerencia. Você sabe exatamente quanto ganha e quanto gasta? Por que em alguns meses o dinheiro falta e, em outros, sobra? 

E, por fim, estabeleça objetivos. Pode ser desde algo simples como economizar para comprar um celular até metas a longo prazo como planejar a sua aposentadoria. Ter objetivos claros e bem definidos te ajuda a visualizar melhor o porquê de você estar organizando suas finanças, aumentando seu foco e motivação para aprender e aplicar os conhecimentos na prática.

De acordo com a pesquisa Conquer/Datacenso, 7 em cada 10 brasileiros não tem bom planejamento financeiro, o que acarreta em outra estatística preocupante: no Brasil, 67% das pessoas estão endividadasTer um bom planejamento financeiro é essencial para te ajudar a ter clareza dos seus objetivos e direcionar o seu orçamento para gastos necessários, sem deixar que você feche o mês no vermelho e acabe acumulando dívidas.

Para te ajudar nessa organização, criamos um modelo de planilha gratuito para você registrar informações importantes. Assim, você consegue acompanhar todas as suas movimentações financeiras de uma maneira descomplicada. Para baixar a planilha de finanças pessoais, é só acessar aqui.

3) Utilize a tecnologia a seu favor

Além de usar a internet para pesquisar mais sobre educação financeira, existem vários aplicativos e ferramentas que podem te ajudar a organizar suas finanças.

Quando se trata de organização financeira, é fundamental manter tudo registrado e sob fácil acesso, por isso, busque a plataforma que atenda às suas necessidades e passe a anotar informações importantes sem precisar fazer tudo manualmente.

Reconhecer a importância da educação e da inteligência financeira para manter uma relação saudável com o seu dinheiro é o primeiro passo para assumir o controle das suas finanças e traçar o melhor caminho para atingir seus objetivos.