Na era da transformação digital, desenvolver produtos e serviços visando entregas rápidas e com qualidade tornou-se ainda mais importante para as empresas. Os modelos tradicionais, lentos e burocráticos, já não são capazes de acompanhar essa velocidade. Foi para agilizar esse processo que surgiram as metodologias ágeis. 

O bom gerenciamento de um projeto exige alinhamento entre os membros da equipe, comunicação clara e assertiva e objetivos bem definidos. As metodologias ágeis utilizam algumas práticas para garantir que esses processos sejam otimizados e, por isso, têm se tornado tão populares entre profissionais e empresas que buscam tornar o seu trabalho mais eficiente. 

Neste artigo, você vai entender o que são metodologias ágeis, conhecer os tipos mais comuns e saber qual se adequa mais à sua rotina profissional e aos seus projetos. Confira! 

Manifesto Ágil: como surgiu

Apesar de algumas metodologias serem anteriores a isso, em fevereiro de 2001, 17 profissionais se reuniram em Utah, nos EUA, para debater novas abordagens para o desenvolvimento de produtos e serviços de software. Como resultado dessa reunião, foi criado o Manifesto Ágil. 

O objetivo era resolver problemas comuns de métodos convencionais, desde as fases demoradas da produção até os prazos de entregas prolongados. A intenção era construir uma ferramenta que ajudasse na gestão e na construção de softwares ágeis, focando no cliente e entregando uma experiência positiva para ele. 

Por serem desafios enfrentados por diferentes setores e empresas, houve uma rápida expansão das metodologias para projetos que vão além da área de tecnologia. Assim, o Manifesto Ágil passou a impactar diversas organizações, contribuindo para transformações que refletem em entregas mais rápidas, produtivas e inovadoras. 

O que é o Manifesto Ágil?

O Manifesto Ágil é uma declaração composta por 12 princípios e 4 valores essenciais para o desenvolvimento de softwares. Servindo como um guia para as equipes, o Manifesto orienta as ações, ferramentas e estratégias utilizadas no gerenciamento de projetos, buscando maximizar os resultados.

Apesar de alguns itens serem bastante específicos para o desenvolvimento de softwares, é possível adaptá-los para as demais áreas de atuação.

12 princípios do Manifesto Ágil

  1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado.
  2. Mudanças nos requisitos são bem-vindas, mesmo em uma etapa mais tardia do desenvolvimento. Processos ágeis tiram vantagem das mudanças visando vantagem competitiva para o cliente.
  3. Trabalhar com ciclos de produção curtos, entregando softwares funcionais simples para testar hipóteses e colher aprendizados.
  4. Desenvolvedores e demais profissionais devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto.
  5. Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessário e confie neles para fazer o trabalho.
  6. O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é através de conversa face a face.
  7. Software funcionando é a medida primária de progresso.
  8. Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante por tempo indeterminado.
  9. Atenção contínua à excelência técnica e bom design aumentam a agilidade.
  10. Simplicidade — a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado — é essencial.
  11. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes auto-organizáveis.
  12. Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz e então ajusta seu comportamento de acordo com o que foi definido.

4 valores do Manifesto Ágil

  • Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas
  • Software em funcionamento acima de documentação abrangente
  • Colaboração com o cliente acima de negociação de contratos
  • Responder a mudanças acima de seguir fielmente um plano

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, os itens à esquerda são os mais priorizados.

O que são metodologias ágeis?

A partir do Manifesto Ágil, surgiram as diferentes metodologias utilizadas para implementar seus princípios e valores.

Propondo etapas de desenvolvimento mais curtas, objetivos claros e bem definidos, foco na melhoria contínua dos processos, alinhamento da equipe e feedback constante, esses métodos buscam transformar os processos de trabalho engessados e garantir maior fluidez no desenvolvimento dos projetos.

A mudança tornou mais simples a identificação de erros durante a execução do projeto e garantiu maior flexibilidade e adaptabilidade para os profissionais envolvidos.

Metodologias ágeis: quais são?

Após entender melhor o que são e a origem das metodologias ágeis, é fundamental conhecer os principais tipos para entender qual é o melhor para o seu projeto e a sua empresa.

Por isso, listamos abaixo as 4 principais metodologias ágeis utilizadas por grandes empresas:

1) Scrum

O Scrum é, possivelmente, o método ágil mais difundido do mercado atualmente. Esse framework, criado por Ken Schwaber e Jeff Sutherland, é utilizado para gestão de projetos e organização de equipes.

Para garantir a efetividade do método, os membros da equipe possuem funções e responsabilidades bem definidas no processo:

  • Product owner: gerencia os projetos, demandas, prazos e metas, além de alinhar o trabalho do time com as necessidades do cliente e os objetivos da empresa.
  • Scrum master: coordena a equipe delegando papeis e acompanhando a execução das tarefas. Responsável por garantir que as regras, processos e cronograma sejam seguidos.
  • Dev team: profissionais da equipe envolvidos no projeto, responsáveis por executar o planejamento.

Na prática, o Scrum é dividido em Sprints, intervalos definidos para o desenvolvimento das etapas dos projetos. Cada Sprint possui um Increment, objetivo final a ser alcançado, e, ao fim de cada etapa, acontece a Sprint review, uma revisão do produto para validação.

Depois disso, a equipe realiza o Sprint planning, reunião que antecede o início de um novo Sprint, para definir o próximo objetivo e o plano de ação a ser seguido. As etapas são repetidas até o desenvolvimento do produto final.

Quer entender detalhadamente as etapas do Scrum? Dá uma olhada no artigo O que é Scrum – e como usar na organização do time?.

2) Kanban

O método Kanban é ótimo para aqueles que gostam de checklists. Simples e fácil de colocar em prática, ele foca nos fluxos de um sistema bastante visual.

Um conjunto de cartões contendo as demandas de um projeto percorrem 3 colunas dispostas em um quadro, físico ou digital.

As 3 etapas que dão nome às colunas são:

  • To do: contém os cartões com as atividades que precisam ser realizadas.
  • Doing: contém os cartões com as atividades que estão sendo realizadas no momento.
  • Done: contém os cartões com as atividades que foram concluídas.

Apesar de ser bastante simples, é preciso que a equipe esteja engajada para fazer o método Kanban funcionar. Essa metodologia ágil exige atualização e acompanhamento constante das demandas que estão sendo realizadas e do avanço delas entre as colunas.

3) Lean

Conhecido no mundo das startups, o método Lean é indicado para validação de ideias e hipóteses no desenvolvimento de produtos.

Um de seus principais focos é identificar e eliminar de maneira eficiente os desperdícios dentro de uma organização ou durante a execução de um projeto. Dessa forma, existe uma redução de custos, diminuição da complexidade das tarefas, resultando em maiores níveis de produtividade, melhores entregas e compartilhamento de informações mais efetivo.

Os três passos do método Lean são:

  • Construir
  • Medir
  • Aprender

Eric Ries, empreendedor e autor do livro The Lean Startup, reforça a importância de se trabalhar com MVPs na execução de um projeto. O Minimum Viable Product (Produto Mínimo Viável) é considerado uma versão funcional mais simples do produto. Ele é utilizado para validar ideias e reunir aprendizados sobre a produção antes de investir mais tempo e recursos na versão completa que será lançada ao mercado.

4) Smart

Utilizada para traçar metas objetivas e realistas para a empresa (ou para si mesmo), a metodologia Smart se baseia em 5 princípios indicados nas letras de seu nome:

  • S (de Specific): significa que sua meta deve ser clara e específica, sem abrir margem para interpretações equivocadas.
  • M (de Measurable): sua meta deve ser mensurável, com objetivos numéricos e exatos para medir a eficiência do processo.
  • A (de Attainable): é importante criar desafios para a sua equipe, mas é preciso ter uma visão realista para estabelecer metas alcançáveis.
  • R (de Relevant): as metas estabelecidas devem gerar um impacto e ter relevância para os resultados do projeto ou da empresa.
  • T (de Time-related): é necessário definir um prazo máximo para alcançar a meta, evitando procrastinações e aumentando o foco.

Empresas que utilizam métodos ágeis

Em cenários competitivos, as empresas têm percebido a importância de processos mais eficientes, marcados especialmente por prazos cada vez mais reduzidos, seja para produtos ou serviços. Ao adotar metodologias ágeis, as organizações conseguem garantir processos mais curtos, objetivos e eficientes.

Por isso, as metodologias ágeis têm sido adotadas por empresas dos mais diferentes setores. O que antes era aplicado a companhias de softwares e tecnologia hoje faz parte de toda empresa que quer se manter competitiva e inovadora no mercado. 

Entre os benefícios do uso das metodologias ágeis para as empresas, podemos destacar:

  • Colaboração entre os times: além de criar equipes multidisciplinares, as metodologias ágeis favorecem a colaboração entre os envolvidos no projeto. Dessa maneira, é possível favorecer a troca de informações e maior cooperação entre áreas.   
  • Controle sobre prazos e custos: definir prazos e custos previamente, com ajuda das metodologias ágeis, permite que eles sejam otimizados e reduz as possibilidades de imprevistos. Esse planejamento contribui para a organização dos projetos, evitando atrasos ou gastos não esperados.  
  • Redução de falhas: os problemas que podem surgir ao longo do desenvolvimento dos projetos podem ser corrigidos com mais flexibilidade e agilidade. Ao invés de reconhecer as falhas apenas no final do projeto, elas são rapidamente identificadas e isso favorece uma resolução mais ágil e eficiente. 
  • Otimização da experiência do cliente: pensar no cliente final ao longo de todo o desenvolvimento dá mais objetividade e assertividade a entrega final.  

Por que você deve conhecer as metodologias ágeis?

Como já citamos, empresas dos mais diferentes segmentos de atuação estão adotando as metodologias ágeis. E para conseguir aplicá-las nos mais diversos contextos, é fundamental entender cada uma delas e quais são as mais adequadas para a construção de produtos, gerenciamento de projetos e formação de times multidisciplinares com organização, performance e resultados. 

Além disso, existem habilidades que estão diretamente relacionadas às metodologias ágeis e que podem destacar o profissional que conhece e domina os métodos. Entre elas, estão produtividade e gestão de tempo, comunicação assertiva, adaptação e flexibilidade, criatividade, orientação por dados e colaboração.

Colocar projetos em prática faz parte do dia a dia de qualquer empresa, sejam grandes ou pequenas. As metodologias ágeis existem para tornar os processos mais simples, rápidos e eficientes, por isso é importante saber utilizá-las da melhor maneira possível para o seu dia a dia no trabalho ou para aplicar ao seu negócio.

#Quero Mais 

Se você quer entender mais sobre metodologias ágeis, separamos 3 dicas para você. Confira:

Sprint: O método usado no Google para testar e aplicar novas ideias em apenas cinco dias

Criado pelo designer Jake Knapp enquanto atuava dentro do Google, o sprint era utilizado dentro da organização e tinha como foco o desenvolvimento de soluções em períodos curtos. Junto com John Zerastsky e Braden Kowitz, os autores do livro conduziram mais de 100 sprints em empresas dos mais diferentes segmentos do mercado. 

No livro, você vai entender como essa metodologia pode ser utilizada em organizações de vários portes, ajudando na solução de problemas, construção de ideias ou elaboração de projetos.

SCRUM: A arte de fazer o dobro na metade do tempo

Neste livro, Jeff Sutherland mostra como o método Scrum é prático e contribui em diferentes cenários, e como essa metodologia está transformando a gestão de projetos dentro das organizações. 

 Além de mostrar os detalhes dos fundamentos do Scrum, o autor ainda traz um conjunto de práticas adotadas por ele em suas equipes com o objetivo de atingir os resultados esperados em qualquer tipo de projeto.

TED Talk: Programação Ágil - para a sua família

Neste TED Talk, o escritor norte-americano Bruce Feiler propõe um manifesto ágil aplicado ao contexto familiar. Com flexibilidade, fluxo de ideias de baixo para cima, responsabilidade e feedbacks constantes, o autor demonstra a aplicabilidade das metodologias ágeis.

Agora que você já conhece os principais tipos de métodos ágeis, é hora de colocar a mão na massa! E, se você quer aprender como utilizar cada um deles na sua vida profissional ou da sua empresa, conheça o curso online de Metodologias Ágeis da Conquer.

Você vai entender como construir produtos, gerenciar projetos e formar times multidisciplinares com mais organização, performance e resultados.