Ficar ansioso em momentos decisivos da vida é extremamente normal, especialmente quando se sabe que tem pouco tempo para mostrar sua melhor performance e está sendo avaliado. No entanto, isso pode ser prejudicial às suas entrevistas de emprego, pois você pode paralisar, falar demais, esquecer detalhes importantes da sua carreira ou ainda passar uma sensação de insegurança ao recrutador.

Quando ficamos ansiosos, não é apenas a nossa mente que está nervosa e agitada, mas o nosso corpo inteiro. Muitas vezes, nem percebemos que estamos mexendo algum membro sem parar ou tendo algum tique nervoso, mas um recrutador bem treinado certamente perceberá. Quando realizamos a entrevista de emprego simulada aqui no nosso escritório, às vezes o profissional consegue ter um excelente controle da cintura pra cima, mas, sem perceber, bate os pés nervosamente, fazendo um ruído constante que tira o foco de quem está avaliando.

É por isso que, neste texto, eu decidi separar algumas dicas que me ajudaram a ser menos ansiosa ou a demonstrar menos a ansiedade em situações de pressão. Tenho certeza que essas dicas vão te ajudar também, não apenas na entrevista, mas para a vida no geral. Quer ver? Então confira abaixo!

1 - Preste atenção no seu corpo

Como eu disse, muita gente não consegue controlar o corpo durante momentos de ansiedade e acaba fazendo movimentos repetitivos, como bater a perna, mexer o pé, estalar os dedos, tremer as mãos, ficar inquieto, piscar exageradamente ou tremer o queixo.

Apesar de ser algo natural, o recrutador pode notar e acabar se desconcentrando do seu discurso. Por isso, entre na entrevista com a mente consciente do seu corpo. Mantenha a postura ereta, ache uma posição confortável e, se precisar se mexer, faça de forma controlada e não repetitiva. Atenção também na hora de gesticular para não soar muito exagerado. Se possível, peça para um amigo lhe entrevistar sem compromisso e filme este momento. Assim poderá avaliar sua postura corporal e perceber detalhes que podem ser melhorados. Lembre que a linguagem corporal é tão importante quanto o discurso.

2 - Trabalhe a sua respiração

Respirar fundo é muito importante. Quanto mais ansiosos nós ficamos, mais curta é a nossa respiração. Para evitar que isso aconteça, inspire fundo pelo nariz e expire com vontade pela boca. Faça isso antes da entrevista e durante se precisar.

Além de te deixar mais calmo, uma respiração controlada também ajuda você a se comunicar melhor e a prestar mais atenção ao seu redor. Cada respiração mais pausada manda para o seu cérebro a mensagem que está tudo bem. Sempre noto profissionais que são entrevistados e “encurtam” a respiração.

3 - Tenha um movimento âncora

Antes da entrevista, mentalize algo que te faça sentir amor. Pode ser o seu filho, seu cônjuge, parceiro, mãe, pai, avós ou alguém que você ame demais. Quando você conseguir sentir esse amor tão forte, segure a ponta do seu dedo mindinho e respire fundo. Respire fundo novamente, deixe-se inundar por esse sentimento positivo e aperte com mais força o seu dedo mindinho. Pronto! Esse movimento será a sua âncora.

Quando ficar muito nervoso ou ansioso, segure novamente a ponta do dedinho e respire. Automaticamente os sentimentos positivos irão aparecer em sua mente e você ficará mais calmo. Se for fazer isso durante a entrevista, tente ser discreto para que o recrutador não perceba.

4 - Lembre-se de que você é o entrevistado

Algumas pessoas ansiosas tendem a falar muito para extravasar esse nervosismo e, por vezes, acabam atropelando o entrevistador. Lembre-se de que você está ali para responder às perguntas, por mais que possa acrescentar algumas coisas e até perguntar outras.

A prioridade é ouvir o que está sendo falado e responder de maneira objetiva e sem enrolação. Falar demais pode tirar o foco, atrapalhar o fluxo da entrevista e causar uma impressão ruim no recrutador.

Às vezes, pode parecer que não, mas é possível controlar a ansiedade. Isso vai te ajudar não apenas a se recolocar, mas a ganhar em qualidade de vida. Pense a respeito!

Não é raro eu realizar uma pergunta quebra-gelo e, por pura ansiedade, o profissional já contar a história da vida dele. Então vá com calma. Dê espaço ao recrutador para que ele conduza a entrevista e extraia o que há de melhor na sua biografia profissional. Respire, mantenha a calma e entregue o seu melhor.

Tais Targa é Job Hunter, Especialista em Recolocação e Carreira, Psicóloga, Coach e Mestre em Educação. Reconhecida como uma das 15 brasileiras que mais influenciaram o LinkedIn em 2016 – LinkedIn Top Voices. Vlogueira, Palestrante, Escritora, viciada em redes sociais e Diretora da empresa TTarga Carreira e Recolocação.

Acompanhe a Tais: LinkedInFacebookInstagram e Youtube.