Você, líder mulher, está pronta para mais um ano de desafios? Em 2022, as lideranças como um todo seguem lidando com novas dinâmicas de trabalho, questões ligadas à saúde mental e transformações que acontecem rapidamente em praticamente todos os setores.

Para as mulheres, a falta de representatividade na liderança pode desencorajar em alguns momentos. Segundo levantamento do IBGE, elas estão presentes em apenas 38% dos cargos de gestão

Somado a isso, há o fator cansaço. Afinal, as mulheres gastam 61 horas por semana em trabalhos não remunerados, também de acordo com o IBGE. Além disso, executivas seniores têm uma probabilidade maior de se sentirem esgotadas, se comparadas a seus colegas homens, como aponta um estudo da consultoria McKinsey & Company.

Para que as mulheres se mantenham firmes e unidas, nada melhor do que entender o que outras líderes estão fazendo Brasil afora, não é? Por isso, perguntamos a líderes mulheres o seguinte: “que conselhos você daria para outras lideranças femininas em 2022?”.

Bora ver as dicas? Então, vem aproveitar essa dose de inspiração de líderes mulheres, que são mentoras de carreira ou que atuam em grandes empresas, como Banco do Brasil e Zé Delivery.

Aline Rosa: “A perfeição nunca chega”

Gerente de Marketing e Customer Success na Lidia Bank

“O primeiro ponto é cuidar ao máximo com a cobrança excessiva que a gente faz com nós mesmas. A gente pode sim se cobrar o suficiente, mas não a perfeição, porque ela nunca chega. 

Outro ponto bem importante é não cair na pressão de ou escolher entre uma vida profissional ou ter família e maternar. O que a gente precisa é de um ambiente em que nós nos sentimos em uma condição de igualdade, tendo uma trilha de crescimento. 

Um desafio que precisamos estar atentas são as soft skills. Hoje nos preocupamos muito com as hard skills, que são cobradas mais ainda das mulheres.

Por isso, a produtividade é muito importante, não para darmos conta de tudo, mas para ter ela como uma aliada para manter a mente tranquila. Além disso, inteligência emocional, para não cair na pressão do mundo corporativo. E por fim a oratória para dar voz e vez aos nossos projetos e opiniões”.

Aline da Rosa Oliveira no LinkedIn

Bruna Marques: “Priorizar e cuidar da saúde mental”

Head of Communication no Zé Delivery e embaixadora da Conquer

“O principal desafio da mulher neste ano é estar atenta à própria saúde mental. 

As mulheres de maneira geral têm toda uma gama de responsabilidades que historicamente foram colocadas sob o cuidado delas, como o cuidado com a casa. Há um movimento para tornar isso mais equilibrado, mas sabemos que a conta sempre pesa mais para nós. 

Para a mulher que tem uma carreira e prioriza ela, que tem uma série de compromissos profissionais, isso causa uma sobrecarga e uma carga mental que muitas vezes não é dividida, e isso pode impactar muito a nossa saúde mental e física. 

Ainda estamos no contexto de pandemia, com uma série de desafios além do normal para todos. E, para a mulher líder, que tem muitas responsabilidades, sobre si e sobre outros, é um ponto bastante importante priorizar e cuidar da saúde mental”.

Bruna Marques no LinkedIn

Thaíssa Candella: “Seja pioneira”

Head of Tech Education no GrupoPRIMO e professora da Conquer

"A minha principal dica para a mulher na liderança neste ano é que ela tenha a clareza de que, em alguns contextos, ela não é apenas a única líder mulher, como também a primeira de muitas que virão posteriormente

Que ela possa buscar fazer um trabalho excelente, que ela possa se orgulhar do lugar que ela está ocupando. E que ela perceba que a representatividade é uma das melhores formas de trazer mulheres para a área de tecnologia. As mulheres precisam de referências, inspiração. 

Aceite ser a primeira, aceite ser a pioneira. Assim, vamos nos estabelecer, e não ser apenas inspiração para outras mulheres, mas também para homens, para qualquer ser humano. Busque ser referência.”

Thaissa Candella no LinkedIn

Karen Machado: “Inspirar as próximas gerações”

Open Banking Executive Manager no Banco do Brasil e professora da Conquer

“Meu conselho para mulheres na liderança: tenham consciência da importância do papel que vocês desempenham... E não estou falando de responsabilidades com seu empregador. Mas da responsabilidade de ocupar uma posição que ainda hoje – infelizmente – poucas conseguem conquistar. 

Responsabilidade de fazer com que o caminho das próximas mulheres líderes seja menos tortuoso e complicado do que o seu foi. Responsabilidade de estimular, apoiar e, sobretudo, inspirar as próximas gerações de mulheres

Esteja disponível para outras profissionais, compartilhe suas experiências e aprendizados ao longo da jornada, dê oportunidade para outras mulheres.

Fique atenta aos comportamentos e vieses no seu time e na sua empresa que reforçam discriminação de gênero. Atue, inclusive por meio da conscientização, para que eles sejam questionados e não se propaguem.

Temos uma cultura de desigualdade de gênero que precisa ser desconstruída. Contribua, ativamente, para termos um mercado com mais diversidade no qual gênero não seja mais uma questão a ser debatida”.

Karen Machado no LinkedIn

Dalva Corrêa: “Não tenha medo de expandir a sua potência”

Fundadora do Batida Perfeita, é mentora e professora de conteúdo

“Querida líder, eu tenho um recado pra você. Liberte-se da juíza algoz que vive em você. Eu sei que ela não te dá trégua, mas dê um basta. 

Use a comunicação para pertencer. Tanto a comunicação verbal, como a não-verbal são suas aliadas no trabalho e na vida. Preste atenção em seus gestos e olhares. Você consegue olhar nos olhos de quem precisa enfrentar e lidar no dia a dia? Para saber como sua equipe está, é preciso perguntar em vez de supor. 

Não tenha medo de expandir a sua potência”.

Dalva Corrêa no LinkedIn

Ninotchka Weimer: “Uma pitada de ousadia e muita coragem”

Mentora de negócios e professora da Conquer

“Os resultados que você busca estão nas ações que você não faz. Veja como isso se aplica à sua liderança!

Líderes são corajosos, pois estão expostos à crítica. Eles se posicionam, agem e também erram na frente dos outros. Já diz a maravilhosa Brené Brown: ‘não existe coragem sem vulnerabilidade’. 

Toda líder tem uma pitada de ousadia e muita coragem. Coragem para tentar, errar, absorver novas demandas e se submeter a situações que não domina. Para assumir as rédeas do seu cargo e da sua vida. 

Seja corajosa o suficiente para ser vulnerável, para assumir uma reunião decisiva, antecipar problemas e encarar os desafios de frente, ter conversas difíceis, impor limites e saber falar ‘não’.

Para liderar negócios é preciso saber liderar pessoas e, para isso, liderar a si mesma. Tenha coragem para fazer o que precisa ser feito e então colher os resultados que você busca. Ou vai ou voa!”.

Ninotchka Weimer no LinkedIn

Verônica Esteves: “Inspire, ensine, incentive” 

Mentora e fundadora da consultoria Marketeria Retail

“Ser líder é um imenso desafio e para as mulheres é ainda maior, pois em pleno 2022 a nossa competência é questionada, principalmente pelas inúmeras funções que a mulher moderna assume. 

Inspire, ensine, incentive, assim você promoverá uma relação de parceria com os seus colaboradores e os obstáculos serão mais leves para todos. 

Tenha coragem e resiliência para realizar e conquistar junto com seu time, sendo uma mentora que transforma pessoas”. 

Verônica Esteves no LinkedIn