Você fala muito rápido e acha que isso dificulta a compreensão da sua fala? Quer saber como melhorar a dicção, mas não sabe por onde começar?

Este tipo de queixa é bem comum… Omissões de sílabas, de fonemas e distorções na articulação da fala são frequentes em pessoas que falam muito rápido. Isso acontece porque não há tempo dos órgãos fonoarticulatórios realizarem seus movimentos para produzir a fala com precisão.

Por que algumas pessoas têm dificuldade com a dicção?

Uma justificativa comum para este comportamento é que a pessoa pensa muito rápido e os movimentos não acompanham tamanha agilidade. A justificativa faz sentido, mas a manifestação na fala mostra um descompasso, algo desviando do caminho.

Vivemos acelerados, pensamos ser multitarefas e pagamos o preço disso… A Síndrome do Pensamento Acelerado e a Ansiedade estão cada vez mais frequentes em nosso meio. Assim, temos que aprender a gerenciar nossas tarefas e pensamentos para conseguirmos nos organizar, organizar nossos pensamentos e levar a vida de forma mais tranquila, mesmo com as atribulações cotidianas. Por isso, ajuda especializada de um bom psicólogo e/ou psiquiatra muitas vezes se faz necessária.

Faça o teste aqui e veja como está a sua oratória

No meio de toda essa correria, alteramos completamente nossa forma de respirar,  aceleramos nossa respiração e a realizamos de forma superficial, curta e superior. Nessa situação, usamos a menor parte do pulmão e, em muitas situações, usamos a musculatura respiratória acessória que fica nos ombros e pescoço. Precisamos aprender a usar o pulmão como um todo.

Como melhorar a dicção através da respiração?

A respiração é base da nossa vida e da nossa VOZ e FALA. Então, indico sempre um treino respiratório para ajudar tanto na questão mental/cognitiva/emocional, quanto no trabalho de voz e de fala.

Quando respiramos de forma lenta e profunda, trabalhando toda a musculatura abdominal e costo-diafragmática, vamos ganhando controle, flexibilidade e capacidade respiratória. Por isso, aumentamos nosso tempo máximo fonatório, ou seja, ganhamos ar para falar sem esforço.

Ao respirarmos assim, ganhamos também uma “calmaria” que vem pela estimulação do sistema nervoso parassimpático, dando tempo para a respiração e a produção da voz e da fala ocorrerem com mais naturalidade e precisão.

Além disso, existem vários exercícios para treinar de forma direcionada todos os parâmetros alterados em uma fala rápida e pouco precisa. Procure um fonoaudiólogo, ele poderá auxiliá-lo(a) neste sentido.

De qualquer modo, existem algumas dicas do que fazer, além de trabalhar a respiração. Então, aqui vão 3 dicas de como melhorar a dicção:

1. Treine a sequência de vogais repetidas vezes, sempre fazendo um sorriso aberto e um bico: a, ô, ê, ó, i, u, é

2. Leia trava-línguas

3. Capriche na articulação das vogais das palavras

Pegue textos e leia apenas as vogais. Mas leia como se estivesse lendo o texto normalmente, respeitando as palavras, as vírgulas, os pontos e toda a melodia do texto em questão.

Espero que, com essas dicas, você saiba como melhorar a dicção e velocidade de fala, ganhando mais naturalidade e inteligibilidade na sua comunicação.

Quer se preparar e engajar seu público por meio da boa oratória? Clique neste link e baixe um checklist com técnicas infalíveis para transmitir uma mensagem de forma original, memorável e emocionante.

Artigo escrito pela fonoaudióloga e coach vocal Marla Oliveira Sakamoto.

Para conhecer mais dicas de cuidados com a voz, me acompanhe no Instagram @malaoliveirasakamoto ou acesse www.comunicabilidade.com.br.