Como se manter calmo e focado mesmo com tantas atividades para executar?

Como ter empatia com os colegas de trabalho?

Como se sentir autoconfiante para tomar decisões?

Todas essas questões estão relacionadas a Inteligência Emocional, que nada mais é do que levar INTELIGÊNCIA para as suas EMOÇÕES.

Segundo pesquisa realizada pelo Dr. Travis Bradberry (co-autor do best-seller Emotional Intelligence 2.0), Inteligência Emocional é a habilidade que corresponde a cerca de 58% da nossa performance profissional.

Por essas e outras que a Inteligência Emocional é considerada por muitos a habilidade essencial para o profissional do século XXI e, consequentemente, quem têm essa habilidade está se destacando no mercado de trabalho.

A boa notícia é que essa é uma habilidade que pode (e deve) ser aprendida e exercitada.

Vou apresentar 5 dicas práticas para você aplicar hoje mesmo e começar a desenvolver sua Inteligência Emocional imediatamente.

1. Respire

Cuidado! Sua maior inimiga é a impulsividade.

Quando agimos de forma impulsiva e respondemos aos conflitos com a primeira coisa que vem em nossa cabeça, a chance de nos arrependermos é muito grande.

Portanto, não deixe suas emoções tomarem conta. Quando chegar aquela bomba por e-mail, respire, tome um ar – melhor demorar alguns segundos para responder do que piorar a situação ou ser mal interpretado.

2.  Observe, observe e observe

Já parou para pensar que estamos acostumados a analisar os outros mas, normalmente, esquecemos de olhar para nós mesmos?

Então, agora é hora de inverter as coisas e dar uma de psicólogo!

Comece a analisar seu próprio comportamento e a forma como você age com as pessoas. Observe o que te tira do sério no trabalho, o que te motiva ou por que aquela pessoa te irrita. Anote tudo.

Com o tempo você vai identificar padrões de comportamento, gatilhos que ativam suas emoções (positivas e negativas) e, principalmente, pontos de melhoria.

3.  Responsabilize-se por suas ações

Se você sentir que pegou pesado ou errou com alguém, peça desculpas diretamente - não ignore o que fez ou evite a pessoa. Se alguém fez algo que você não gostou, chame de lado e de forma gentil diga o que lhe incomodou.

As pessoas geralmente estão mais dispostas a perdoar e esquecer se você faz uma tentativa sincera de fazer as coisas darem certo.

Na prática, bata no peito quando foi uma atitude sua, um erro seu, assuma suas responsabilidades. A partir do momento que você se coloca nessa posição, gradativamente as pessoas ao seu redor vão te respeitar ainda mais e também começam a não sentir mais tanto medo, nem vergonha, de assumir suas falhas.

4. Examine como suas ações afetarão os outros

Se a sua ação ou decisão for afetar outras pessoas, pergunte-se:

Como se sentirão se eu fizer isto? Eu quero este resultado? E se alguma ação for inevitável: Como poderei ajudar os outros a lidar com os efeitos?

A empatia e aqui um ponto chave.

Preocupe-se com você, com as suas decisões e com os outros. Seja aquela pessoa que todos querem no time.

5. Tenha paciência e seja persistente

Todos os pontos acima não serão naturais na sua rotina de um dia para o outro, por isso você precisa ter paciência e ser persistente.

Coloque lembretes no seu celular, post-it no computador e tente se lembrar de estar atento às oportunidades de aprendizado e melhoria.

Com o tempo as coisas irão fluir e você começará a sentir-se muito melhor. Te garanto.