Hoje eu vou falar de duas dúvidas recorrentes (praticamente todos os nossos clientes perguntam isso) sobre o uso do LinkedIn. Para mim o LinkedIn é a rede social mais poderosa para ampliar a networking. E, assim como você, eu iniciei nessa rede de forma modesta e com poucas conexões.

Já falei diversas vezes sobre a importância de saber o LinkedIn e o quanto esta competência pode ser um diferencial para quem se encontra em processo de recolocação. No meu material, não faltam dicas de como ajustar o perfil para que ele receba cada vez mais visitas, o que pode se converter em propostas de emprego.

Mas agora quero dividir com você as duas principais dúvidas que recebo sobre o uso desta ferramenta.

1. Devo aceitar e solicitar conexões com pessoas que não conheço?

Eu costumo dizer que sim, afinal, você está construindo uma rede. Durante muito tempo, eu aceitei todas as conexões e nunca tive problemas quanto a isso.

Muitas vezes você acha que a pessoa não tem nada a ver com a sua área de atuação e por isso a conexão pode não render bons frutos, mas eu te digo: não dá para ter certeza disso.

Por exemplo, se a pessoa te adiciona e é motoboy, você não tem como saber para quem ela trabalha. Vai que este profissional preste serviços para o CEO de uma empresa em cuja vaga você está de olho há tempos? Já pensou nisso? Esse CEO pode ser uma das conexões dele e aquela pessoa que você nem conhecia pode servir de ponte entre você e seu potencial futuro empregador. Não há como saber. E quando alguém entra na sua rede de contatos todas as conexões desta pessoa viram suas conexões em segundo nível, ou seja, você poderá através de um clique enviar um convite para que elas se conectem com você. Eu sempre oriento os nossos clientes a enviarem um convite de texto personalizado e neste texto você vai deixar claro que não conhece bem a pessoa, mas que podem ter objetivos convergentes. Veja o exemplo.

Texto na íntegra:

Prezado João,

Eu sou um profissional da área de RH e gostaria de lhe adicionar à minha rede profissional no Linkedin já que partilhamos de objetivos em comum. Fique à vontade para troca de informações.

Atenciosamente,

Taís Targa

Job Hunter, Coach Executiva, Psicóloga e Mestre em Educação

Lembrando que o LinkedIn limita o número de conexões em 30.000 e orienta que você envie convites somente para conhecidos. Mas posso dizer que por experiência própria e por centenas de clientes que já assessorei que se sua abordagem for inteligente e estratégica (capriche no texto do convite) não há problema nenhum. Mas vai aqui um aviso superimportante: não envie mais de 50 convites por dia, pois o LinkedIn é muito atento sobre a prática de spam e caso você responda muitos inbox ou receba muita negativa nos convites que enviar a rede pode restringir a sua conta. Use a sabedoria e o bom senso, o importante não é tanto o número, mas a qualidade da sua rede.

2. Posso abordar um headhunter ou profissional de RH no LinkedIn e enviar meu CV?

Sim, pode. Sugiro que você faça o seguinte: adicione o headhunter no LinkedIn e quando ele o aceitar lhe envie uma mensagem de boas-vindas. Diga que está construindo networking e coloque-se à disposição. Não mande de cara o seu CV ou peça ajuda.

Deixe passar alguns dias, algo como uma semana mais ou menos, e lhe envie uma nova mensagem perguntando sobre a possibilidade de envio do CV. Detalhe brevemente a sua área de atuação e questione se ele poderia lhe fornecer um e-mail por onde encaminhar o currículo, caso tenha interesse em recebê-lo. Geralmente os usuários deixam em seus perfis os e-mails particulares e neste caso não acho interessante enviar seu material para este e-mail e também não gosto muito de enviar pelo inbox. Aqui na nossa empresa nós só enviamos Currículos de assessorados para e-mails corporativos.

Aguarde a pessoa se posicionar quanto isso. Seria interessante que você solicitasse um e-mail corporativo/institucional. Isso porque, se você encaminha o CV para o e-mail pessoal, corre um sério risco de ser esquecido. Afinal, a pessoa vai abrir seu CV em um momento de folga ou mesmo fora do trabalho.

De qualquer forma, isso não é regra. Ainda que peça o e-mail profissional, talvez o recrutador forneça o pessoal ou peça para você enviar pelo inbox. O importante é se fixar na tentativa. Faça o seu papel e siga seu caminho. Com certeza as boas oportunidades vão aparecer. Só não desanime e trabalhe um pouco por dia. Com certeza a sua presença, foco e disciplina no LinkedIn lhe ajudarão a se recolocar no mercado bem mais rápido. E para ficar mais prazeroso toda vez que for focar no LinkedIn ouça uma música agradável, tome um café ou chá e mentalize que seu novo trabalho tá ficando cada vez mais perto. Em pouco tempo espero que tenha tanto amor pelo LinkedIn assim como eu ❤.

Tais Targa é Job Hunter, Especialista em Recolocação e Carreira, Psicóloga, Coach e Mestre em Educação. Reconhecida como uma das 15 brasileiras que mais influenciaram o LinkedIn em 2016 – LinkedIn Top Voices. Vlogueira, Palestrante, Escritora, viciada em redes sociais e Diretora da empresa TTarga Carreira e Recolocação.

Acompanhe a Tais: LinkedInFacebookInstagram e Youtube.

Tem interesse em aprender habilidades que vão te ajudar a se destacar como profissional e melhorar seus resultados? Conheça os cursos da Conquer! Para quem não se contenta com o médio.