Feedback é uma das ferramentas mais importantes que todo líder deve ter em seu cinto de utilidades. 

Com ela, garantimos que todos da equipe que fazemos parte irão receber material para corrigir pontos que não estão funcionando muito bem, refletir sobre comportamentos inadequados, remover obstáculos para a entrega de seus projetos e crescer como pessoas e profissionais. 

Um ambiente corporativo nunca irá funcionar em sua capacidade plena se não existir uma cultura saudável de feedback.

Eu falo saudável porque, como toda ferramenta, ela precisa ser usada da forma correta para ter o efeito desejado. Se o feedback for mal feito, ele, além de não funcionar, pode ter efeito contrário e até destrutivo

Lembro de uma vez em que eu tive que dar feedback para um dos primeiros profissionais que reportaram para mim. O nosso escritório era pequeno e sempre havia falta de salas. Por esse motivo, e pelo feedback que eu precisava dar parecer ser leve (um atendimento mal feito com um cliente), resolvi que iríamos usar um espaço aberto reservado para café para o nosso papo. Assim que sentamos em uma mesa lateral, comecei a despejar o que eu tinha percebido como com algumas dicas do que ele poderia ter feito melhor.

Ele começou a chorar.

Logo outros funcionários que estavam no espaço vieram até a gente para saber o que estava acontecendo. Quando dei por mim, umas cinco pessoas preocupadas estavam ao nosso redor tentando consolá-lo achando que algo grave tinha acontecido. Caos total. 

Eu pequei no uso da ferramenta, eu não considerei que cada um reage de forma diferente ao receber feedback e que fazer isso em um local público é inapropriado. Essa história me fez aprender, de maneira dolorosa, a primeira das 5 dicas que vou deixar abaixo para dar um feedback bem estruturado para a sua equipe:

Hey! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente no Conquer Summit de Liderança, nos dias 27, 28 e 29 de setembro, evento online com especialistas de grandes empresas do país.

1. Escolha um lugar adequado para a conversa

Nós nunca sabemos como as pessoas vão reagir em uma sessão de feedback, por mais simples que ele seja (como vimos na minha desastrosa história acima). 

Quando for ter essa conversa, faça isso em um lugar reservado em que só vocês dois estejam presentes. Evite lugares abertos ou que podem ser facilmente vistos por outros que estão circulando pelos corredores. De novo: cada um reage de uma forma diferente em uma conversa de feedback e privacidade é tudo nessa hora.

2. Quebre o gelo

Antes de começar a despejar o que quer que você tenha para falar, prepare o terreno

Pergunte sobre como está o trabalho, o andamento de algum projeto e iniciativa que você tem ciência ou até mesmo algo pessoal se tiver abertura e intimidade para isso. 

Eu gosto de criar uma energia bem equilibrada no momento antes de entrar na parte importante da conversa.

3. Traga exemplos claros para ilustrar o feedback

Essa é sem dúvida a dica mais importante de todas que eu trago aqui, a hora de entrar no que precisa ser trabalhado. Eu sempre aconselho as pessoas a evitarem rodeios e irem direto ao ponto

O feedback é sobre trabalhar o comportamento? Diga: “há uma questão de comportamento que precisa ser trabalhada”. O projeto está atrasado? Diga: “o projeto está atrasado”. Direto ao ponto, sem rodeios. 

Agora, o pulo do gato: SEMPRE exemplifique seus feedbacks. Usando os mesmos exemplos acima, na questão de comportamento: “você não tem contribuído muito nas reuniões, nas últimas três que participou não comentou nenhum dos pontos discutidos”. Ou “concordamos que o projeto seria entregue na data tal, já se passaram X dias e ele ainda não está pronto”. 

Feedback sem exemplo é igual pastel de vento: não tem conteúdo nenhum

4. Tenha escuta ativa

Depois de entregue o feedback, é hora de escutar o que o profissional tem a dizer sobre o que escutou. 

Pergunte se ele entendeu o objetivo da conversa, o conteúdo e os exemplos e dê espaço para ele se expressar. Aqui, vale se atentar que todos temos um jeito diferente de assimilar as coisas. 

Algumas pessoas vão querer retrucar e responder o que acabaram de escutar, outras preferem ter um tempo para assimilar isso e conversar em algum outro momento. Não tem certo ou errado, sinta o momento e faça o que deixar a pessoa mais confortável.

5. Coloque-se à disposição

Terminada a sessão, coloque-se à disposição para tirar qualquer dúvida que a pessoa tenha sobre o feedback recebido em um papo futuro. 

Seja proativo, se perceber que a mensagem não ficou totalmente clara ou não foi bem absorvida, sugira um outro momento para continuarem a conversa. É muito importante mostrar que você é parceiro e está lá para ajudar com o que for preciso.

Feedback nem sempre é fácil de ser feito, mas é absolutamente necessário para o crescimento de nossos times. Eu gosto de falar que feedback é um presente, algo que damos para o crescimento de quem está ao nosso lado.

Não economize nos presentes para o seu próprio time.

Quem é Luciano Santos

Diretor de vendas no Facebook, mentor de carreiras e produtor de conteúdo especializado em educação corporativa, apaixonado por compartilhar reflexões e experiências vivenciadas em sua trajetória como executivo das duas maiores empresas de tecnologia do mundo. Foi eleito um dos LinkedIn Top Voices de 2020.

Luciano é um dos líderes de referência convidados para o Conquer Summit de Liderança, evento gratuito e ao vivo nos dias 27, 28 e 29. Clique aqui e se inscreva.

Participe do evento e entenda como lideranças de empresas como Facebook, Polishop, Bosch e Dafiti usam a inteligência emocional e a comunicação assertiva a favor de um ambiente com menos conflitos e mais resultados. Além disso, você vai conhecer estratégias para desenvolver times de alta performance e conseguir ter uma rotina mais equilibrada, conseguir inovar e continuar crescendo. 

Faça sua inscrição aqui e participe!

conquer summit