Apesar do interesse de muitas pessoas por investimento, é fato que os brasileiros ainda têm receio de investir. Esse é o seu caso?

Ainda existe muito desconhecimento sobre o que é real e o que é mito quando o assunto é investimento. O resultado disso é que a poupança, uma das aplicações menos rentáveis, é o investimento mais escolhido entre os brasileiros.

Os dados são de uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), que aponta a resistência dos brasileiros à prática de investir.

De acordo com esse estudo, 62% dos entrevistados que costumam economizar ainda escolhem a poupança, 27,1% preferem guardar o dinheiro em casa e 23% mantém o dinheiro na conta corrente

Ainda que mais de 2 milhões de brasileiros invistam na bolsa atualmente, isso significa pouco mais de 1% da população. Na Europa e na Ásia, por exemplo, essa proporção gira entre 20% e 30% da da população, enquanto nos Estados Unidos cerca de 65% da população investe na bolsa. 

Além disso, segundo uma pesquisa realizada pela Conquer em parceria com o Datacenso, somente 15% dos brasileiros têm bons conhecimentos sobre como investir.

Se você ainda tem receio ou não sabe muito bem como começar a investir, então continua com a gente! Nós separamos dicas que podem ajudar nos seus primeiros passos como investidor.

O que é investimento?

Investimento em ações, Tesouro Direto ou  fundos imobiliários. Esses termos têm se tornado cada vez mais comum para os brasileiros. 

Dentro do universo financeiro, investimento é qualquer aplicação feita hoje e que vai trazer resultados em um futuro de curto, médio ou longo prazo. Ele acontece pelo efeito dos juros compostos, que faz com que esse valor seja somado ao montante inicial.

Por que é importante investir?

A cultura financeira do Brasil mostra que os brasileiros não têm o hábito de poupar e os poucos que fazem acabam investindo mal. Apesar disso ser cultural, é preciso (e possível) mudar esse cenário. 

Prova disso é que, nos últimos anos, mais brasileiros começaram a investir e a diversificar suas possibilidades de investimento, encontrando assim alternativas diferentes das tradicionais, como a poupança. 

Isso aconteceu porque a cadeia de informação se ampliou e novos canais financeiros surgiram. Além do ganho oferecido pela internet, novas empresas financeiras foram criadas e aumentaram as possibilidades dos brasileiros encontrarem o investimento ideal para sua realidade. 

Investir traz reflexos em dois principais cenários - uma maior independência financeira ou mesmo garantir a qualidade de vida na aposentadoria. Como a variável tempo é muito importante quando se fala em investimento, o ideal é que você o mais cedo possível.  

Dados mostram que a maioria dos brasileiros que investem na Bolsa de Valores tem entre 26 e 35 anos, ou seja, são pessoas mais jovens, que não estão sendo mais atraídas pelos grandes bancos e estão procurando outras maneiras de investir. 

Essa mudança no perfil dos investidores no Brasil pode transformar a realidade daqueles que se aposentam. Atualmente, apenas 1% das pessoas consegue manter o mesmo padrão de vida após a aposentadoria, e 56% dos brasileiros não têm nenhum tipo de reserva financeira para a terceira idade. Isso mostra que investir é um passo importante para se preparar financeiramente para o futuro.

3 dicas para ser um bom investidor 

1. Pensamento de longo prazo 

Investimento nem sempre é compatível com o imediatismo, e essa mudança de mentalidade é o primeiro passo para se tornar um bom investidor. Os brasileiros têm grande resistência ao pensamento de longo prazo por uma questão cultural de priorizar aquilo que dá retorno imediato.  Evite esse pensamento!

Existem diversas possibilidades de investir a curto prazo, e elas certamente podem render bons frutos ao investidor. Mas investimentos que são de fato consistentes e com retorno fora da curva são, via de regra, aqueles feitos a longo prazo.

Por isso, não ignore um investimento porque ele não dará retorno imediato ou porque você estará correndo algum risco ao fazê-lo. A verdade é que os riscos são naturais em qualquer investimento. O que vai fazer a diferença é o cuidado e o planejamento envolvidos na sua decisão.

2. Paciência com as movimentações do mercado  

Vários fatores podem influenciar os seus investimentos, desde a desvalorização de determinadas moedas até instabilidades diplomáticas entre os países. Por isso, a segunda dica, válida para todo bom investidor, é exercitar a paciência com as oscilações do mercado.

Como já falamos, investir é assumir riscos, e as movimentações do mercado podem influenciar negativamente os seus investimentos em algum momento. O segredo é não agir por impulso quando isso acontecer.

Avalie racionalmente se o seu investimento pode render bons frutos a longo prazo. Se a sua estratégia for bem formulada, é possível inclusive usar as variações do mercado como ótimas oportunidades para fazer seu dinheiro render mais.

3. Ter disciplina para poupar todos os meses 

Além de pensar a longo prazo e ter paciência, todo bom investidor precisa ter a boa e velha disciplina, afinal, quanto mais dinheiro for poupado e investido, maiores serão os retornos das aplicações.

Se você não consegue cumprir a regra de poupar dinheiro todos os meses, pode ser que você precise melhorar a gestão das suas finanças pessoais. De toda forma, o ideal é que você reserve uma porcentagem fixa todos os meses para investir.

Quer entender mais? Conheça o curso de Finanças Pessoais, disponível na ConquerPlus. Assine agora a nossa plataforma de streaming e tenha acesso a TODOS os cursos gravados da Conquer!

São cursos que vão acelerar sua carreira a partir da nossa metodologia mão na massa, conteúdos atuais e professores que são referência no mercado. 

Clique aqui, conheça os cursos disponíveis e faça sua assinatura agora mesmo.

conquer_plus